sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Santos 'alfineta' e cobra EA Sports por ficar fora do Fifa 15


Peixe se manifestou por meio de nota, afirmando que tem contrato com a empresa até 2018 e acrescenta que já tem conversas com jogo de outra marca

Depois da EA Sports, empresa que faz o jogo Fifa 15, afirmar que não haverá clubes brasileiros na próxima edição, o Santos se pronunciou por meio de uma nota, afirmando que estranhou a decisão da empresa, já que o clube tem contrato até 2018 e participou das versões anteriores. 

Veja um trecho da nota.

" 1. O Santos FC estranhou a decisão da EA Sports, já que tem contrato vigente com a empresa até 2018;
2. Na vigência de seu contrato, o Clube sempre participou das versões anteriores;
3. Em nota oficial, a empresa Eletronic Arts alega “que não conseguiu chegar a um acordo com os detentores dos direitos dos jogadores”. O Santos FC esclarece que, em nenhum momento, foi procurado pela empresa para qualquer acordo;
4. O Santos FC vai pedir à empresa para que explique a que “mudanças no processo de licenciamento no Brasil” ela se refere na mesma nota oficial;
5. O Santos FC mantém contrato de exploração de imagem com todos os seus jogadores e, também, implantou o mais moderno regimento interno para regular o uso da imagem dos seus atletas, o que atenderia todas as necessidades legais cabíveis ou conhecidas.

O Santos FC considera esse mercado altamente estratégico para o Clube, não medindo esforços para viabilizar os produtos, tanto que sempre procura atender as necessidades de seus parceiros comerciais neste segmento."

Para demonstrar que tem mesmo interesse em estar nos jogos de videogame, o Peixe acrescentou que já está negociando com a Konami para estar no jogo concorrente do Fifa, o Pro Evolution Soccer.

- Como exemplo, já estamos negociando a participação do Santos FC para a versão deste ano do Pro Evolution Soccer, da Konami.

A EA Sports ainda não respondeu o Santos sobre as questões levantadas.

Lancenet

Oswaldo motiva Santos com "finais"e já sonha com arrancada


O técnico do Santos, Oswaldo de Oliveira, vê com bons olhos a série de jogos contra equipes que estão a frente na tabela do Campeonato Brasileiro. O comandante santista disse que motivará o elenco com os confrontos e trata a sequência como a oportunidade perfeita para uma arracanda na competição nacional.

"Temos, agora, dois jogos (Internacional e Corinthians) importantes. É bom encararmos os adversários que estão a nossa frente, será uma motivação para que possamos nos aproximar mais. Hoje, uma equipe para estar no topo da tabela precisa superar problemas. Então, encaramos com muito respeito Inter, São Paulo e Corinthians, mas pensaremos em uma sequência de vitórias para melhorar na tabela", disse o treinador.

O Santos, atualmente, ocupa a sexta colocação, com 20 pontos, e começa já no domingo, contra o Internacional, quarto, com 22, a sequência direta para chegar ao G-4. Depois, enfrenta o Corinthians, vice-líder, com 23, e o Cruzeiro, líder da competição, com 28. A sequência ainda tem Atlético-PR e São Paulo, ambos um pouco abaixo, com 19 pontos.

Na derrota por 2 a 1 contra o Londrina, na quinta-feira, Oswaldo confirmou o pacto de descanso com os jogadores titulares, condicionado a uma vitória diante da Chapecoense, e bancou a escalação de uma equipe alternativa com nove atletas revelados no clube, entre elas o trio de ataque titular campeão da última Copa São Paulo.

O treinador está preocupado, principalmente, com o desgaste físico de seus jogadores. O Oswaldo de Oliveira, que já havia questionado a tabela do Campeonato Brasileiro, sustentado pelo fato do Santos ter menos tempo de recuperação de seus adversários pelo excesso de jogos às quintas-feiras.

Diante do Internacional, neste domingo, o técnico tem esperanças de contar com o centroavante Leandro Damião, afastado desde maio dos gramados para tratamento de uma pubeíte e, posteriormente, devido a uma entorse no tornozelo esquerdo. Após o confronto, perderá pelos próximos três jogos o atacante Gabriel Barbosa, artilheiro santista na temporda, com 15 gols, devido a convocação para a Seleção Sub-20.

Terra

Bruno Uvini agradece "escola italiana" por evolução e comemora sequência

Zagueiro destaca aprendizado nas duas temporadas de Napoli, apesar das poucas chances, e diz que oportunidades têm ajudado a colocar tudo em prática no Santos

Bruno Uvini fez só três jogos nas duas últimas temporadas pelo Napoli, mas a experiência na Itália tem sido importante para sua afirmação no Santos, clube para o qual está emprestado até o fim do ano. No clube italiano, além dos treinos com o grupo, ele realizava atividades específicas para zagueiros (o trabalho em setores é uma marca do futebol europeu). E dentre os fundamentos aprimorados está a saída de jogo. Prova disso foi o lance que originou o segundo gol da vitória por 3 a 0 sobre a Chapecoense, no último sábado.

Um lançamento de Uvini, do campo de defesa, pegou a zaga do time catarinense de surpresa. Thiago Ribeiro aproveitou e deu o passe para Gabriel conferir. Segundo o zagueiro, trata-se de uma jogada trabalhada na Itália e que foi aprimorada na última semana, nos treinos com o técnico Oswaldo de Oliveira.

– Lá (na Itália) consegui evoluir muito nesse fundamento (saída de jogo), pois usávamos muito esse tipo de jogada. Quando eu retornei para o Brasil, o professor já gostava bastante desse lance e, nessa semana, treinamos muito (lançamentos). Fomos felizes, e tenho certeza que o mérito é dos treinamentos – disse Uvini.

No Napoli, Uvini trabalhou com Walter Mazzari e Rafa Benitez. Cada técnico tinha um auxiliar responsável pelos defensores – Enzo Contina e Fabio Pecchia, respectivamente. Após os treinos com o grupo, ele e os outros zagueiros realizavam exercícios específicos. O grau de exigência dos italianos era alto, condizente com a tradição do país em formar atletas na posição.

– A Itália, para os zagueiros, é uma escola muito forte. Os treinadores martelam a mesma coisa, movimentação, posicionamento. Ensaiam tanto que acaba entrando na cabeça. O Rafa Benitez ainda gostava de aproveitar os zagueiros como laterais, então você também aprendia a jogar como um defensor pelos lados. Eu fui um jogador para lá e voltei outro – contou.

No Santos, Uvini enfim tem conseguido colocar em prática o que aprendeu na Itália. O zagueiro foi titular nos últimos três jogos no Brasileiro e só não encarou o Londrina, na quinta-feira, pela Copa do Brasil, porque Oswaldo de Oliveira preferiu levar só os reservas ao Paraná. Ele, aliás, chegou ao Peixe como um desconhecido para o próprio técnico, mas o convenceu no dia a dia. Até por isso, o defensor agradece ao comandante pelas oportunidades.

– Ele (Oswaldo) me deu a confiança necessária. Eu me preparei, mas é preciso essa confiança para executar o que é treinado. Essa sequência é o que sempre busquei. É o que procurei aqui no Santos, que me abriu as portas. Trabalhei duro na pausa (da Copa do Mundo), principalmente. É diferente entrar em campo tendo uma sequência, pois você vai evoluindo cada vez mais – disse.

A tendência é que a briga por uma vaga na equipe fique mais acirrada a partir deste mês, com as prováveis voltas de Edu Dracena e Gustavo Henrique – em tese os titulares do setor, que estão sem atuar desde o início do ano devido a lesões no joelho. Uvini sabe que a disputa ficará mais complicada e destacou a qualidade técnica dos zagueiros do elenco.

– Já estava difícil (ser titular) quando cheguei, pois o pessoal que está aí tem muita qualidade. E quando eles (Dracena e Gustavo) voltarem vai ficar mais competitivo, mas é algo sadio. O time é excelente, todos tiveram espaço até agora. Nosso elenco é grande, mas quase todos jogaram. O professor tem feito essa variação, e quem está entrando tem correspondido. Todos ganham com isso – encerrou Uvini, que volta a campo no domingo, às 18h30, contra o Internacional, no Beira-Rio, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Globoesporte.com

Com Meninos da Vila em baixa, Oswaldo vê Damião como substituto de Gabigol


O técnico Oswaldo de Oliveira, que testou a nova geração de Meninos da Vila na derrota para o Londrina por 2 a 1 na última quinta-feira, pela Copa do Brasil, não ficou empolgado com o que viu. O treinador, que usou cinco atacantes da base na partida – Jorge Eduardo, Stéfano Yuri, Diego Cardoso, Geuvânio e Giva –, está ansioso mesmo é com o retorno de Leandro Damião, que se recupera de entorse no tornozelo esquerdo.

"Vejo com otimismo, ele (Damião) participou bem do treino, sentiu a parte de resistência, mas teve muita mobilidade, trabalhou bem. Amanhã (nesta sexta-feira) vou saber melhor, mas acho que para os jogos que vem vai estar em condições", afirmou Oswaldo.

Além de sonhar com a volta de Damião já para o duelo contra o Internacional neste domingo, às 18h30 (de Brasília), no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, Oswaldo tem planos maiores para o camisa 9, que ainda não engrenou com a camisa santista.

Oswaldo aposta que Damião pode suprir à altura a ausência de Gabriel Barbosa, principal destaque do Santos na temporada.

Isso porque Gabigol foi convocado pelo técnico Alexandre Gallo para defender a seleção sub 20, que disputará o Tornei de Cotif, em Valência, na Espanha, e não jogará contra Corinthians, no dia 10, na Vila Belmiro, Cruzeiro, dia 17, no Mineirão, e Atlético-PR, dia 20, na Vila, além da partida de volta contra o Londrina, dia 14, também no alçapão santista.

"Preferiria contar com os dois, claro. Mas infelizmente e felizmente porque o Gabriel precisa ter essa experiência de seleção. Uma pena que tenha que ser interferindo na sequência no Brasileiro, pois tem treinado bem, trabalhado bem. O Damião está voltando, está com confiança, e acho que vamos ter uma reposição no caso da saída do Gabriel", disse Oswaldo.

Gabigol lidera a artilharia do time no ano. Em 31 jogos, foram 15 gols, quatro deles no Brasileirão. Damião, por sua vez, já encarou dois jejuns de gols e sofre pressão de torcedores e conselheiros por ser a contratação mais cara da história do Santos, cerca de R$ 42 milhões, e não corresponder ao alto investimento em campo.

Se não bastasse ter encarado dois jejuns de gols desde que chegou ao Santos, Damião tem sofrido com as lesões. O jogador se recuperou de uma pubeíte que o tirou dos gramados em maio, mas sofreu entorse no tornozelo esquerdo no último dia da intertemporada realizada durante a Copa do Mundo.

Uol Esporte

Oswaldo critica gramado, muda foco para Brasileirão e prevê dificuldades


Treinador prevê volta de Damião contra o Internacional, no próximo domingo, no estádio Beira-Rio. Além disso, minimiza perda de Gabriel para seleção sub-20

Apesar da derrota por 2 a 1 para o Londrina, pela partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil, o técnico Oswaldo de Oliveira elogiou a atuação dos reservas do Santos. O que irritou o treinador foi o estado do gramado do Estádio do Café, que não apresentou boas condições nesta quinta-feira. 

- Conseguimos empatar o jogo aos 42 minutos e ainda tomamos o gol. A equipe foi muito bem, não tinha dado chance ao adversário (no segundo tempo). A reação dos meninos foi boa. Eles cumpriram o que pedi taticamente. A equipe poderia ter evoluído melhor, mas acho que, no geral, é um resultado que podemos reverter na Vila Belmiro - falou.

Contra o Figueirense, em maio deste ano, pelo Campeonato Brasileiro, o Peixe já havia encontrado o gramado do Estádio do Café em más condições. O treinador disse que esperava encontrá-lo em melhor estado após dois meses.

- Não teve nenhuma mudança. Preferia que o gramado estivesse melhor. Estamos trabalhando com o Souza, mas a criação ficou difícil por causa do gramado. Quando Renato, Alan (Santos) e Souza pegaram na bola, não conseguiram fazer o time andar como fazem naturalmente. Isso prejudica a equipe, até a da casa - lamentou.

Agora, os santistas terão de esquecer a Copa do Brasil por alguns dias. No domingo, o Alvinegro encara o Internacional no estádio Beira-Rio, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 18h30 (de Brasília). Oswaldo de Oliveira não acredita que a derrota para o Londrina irá abalar o seu time. 

- Para o Santos, a derrota não interfere em nada. Tem o jogo de volta, temos condição de reverter. Conseguimos preservar os titulares nesse jogo. O Internacional, no domingo, vai ter um dia de vantagem, porque jogou ontem (quarta-feira, pela Copa do Brasil). As viagens fazem diferença, mas não vejo como isso pode interferir no Brasileirão - completou.

Veja as principais declarações do treinador em entrevista coletiva no Estádio do Café: 

REAÇÃO DO GEUVÂNIO APÓS O JOGO

Normal, ninguém que leva um gol depois do empate fica bem. Isso é normal, depois ele refaz. O gol dele foi importante para ele. Estamos retomando os melhores momentos dele. 

O QUE TIRAR DE POSITIVO DA DERROTA

Foi um jogo excelente para nós. Claro que não gostamos da derrota, mas acho que o desempenho da equipe foi bom, principalmente para a evolução dos meninos. A maioria já jogou no Paulista, alguns no Brasileiro, e hoje o clima de Copa do Brasil foi importante para todos.

LEANDRO DAMIÃO

Vejo com muito otimismo a possibilidade de ele voltar. Ele participou hoje do treino, sentiu parte física, participou intensamente do treino. Amanhã vou ver novamente. Espero que tenha condições para o jogo do fim de semana. 

GABRIEL NA SELEÇÃO SUB-20

Preferiria contar com ele, mas ele precisa da Seleção também. Ele tem jogado bem, mas as coisas vão se equilibrar. Leandro Damião está voltando com confiança, vamos ter uma reposição.

JOGO CONTRA O INTERNACIONAL

Normalmente é difícil. É um time excelente. Vai ser um jogo difícil, mas nossa equipe está crescendo. Estamos tendo uma excelente semana de trabalho, acredito em uma boa partida. 

Globoesporte.com

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Após ensaiar redenção, Geuvânio lamenta derrota: 'Não fez diferença'


Atacante foi reserva de um time formado somente por suplentes, deixou sua marca, mas viu o time ser derrotado no último minuto. Irritado, não comemorou o gol feito

Acionado na vaga de Jorge Eduardo aos 31 minutos do segundo tempo, o atacante Geuvânio deixou sua marca nove minutos depois, mas não evitou o segundo gol do time do Londrina, marcado já aos 45. Com os 2 a 1, o time paranaense saiu na frente do Peixe na terceira fase da Copa do Brasil.

Reserva do time de suplentes escalado por Oswaldo de Oliveira para a partida desta quinta-feira, o camisa 10 não acredita que tenha sido um gol para marcar sua redenção, e optou por lamentar a derrota no Estádio do Café.

– Meu gol não vai fazer diferença nenhuma. Não sei dizer nada agora, nada. O que queria eram os três pontos, não fiz nada mais que minha obrigação. Não tem essa de redenção, de nada. Eu queria ganhar - comentou o jogador, demostrando irritação.

Como na Copa do Brasil não há disputa por três pontos, o Peixe terá duas semanas para se preparar para o jogo de volta e tentar avançar às oitavas de final do torneio. O próximo compromisso está marcado para dia 14, também às 21h, na Vila Belmiro.

Lancenet

Renato diz que Santos pecou no fim, mas comemora 'ressurreição' de Geuvânio


O volante Renato, atleta mais experiente do time B do Santos, que perdeu para o Londrina por 2 a 1 nesta quinta-feira, no estádio do Café, em jogo válido pela terceira fase da Copa do Brasil, lamentou o gol sofrido da equipe santista aos 45 minutos do segundo tempo. Entretanto, o volante encontrou motivos para sair de campo satisfeito.

Renato comemorou o gol de Geuvânio, que perdeu espaço até entre os reservas do Santos, e pode ganhar novas oportunidades com o técnico Oswaldo de Oliveira após balançar das redes em Londrina.

"O time correu, lutou, tomou o gol, não sei se é injusto, mas ainda tem o jogo de volta e lá vamos buscar a nossa classificação. Sabíamos que seria complicado, difícil, corremos atrás, mas pecamos no fim com o segundo gol. Mas está aberto, na Vila vamos buscar a classificação. Apesar da equipe nunca ter jogado junto todos correram, se doaram", afirmou Renato.

"Sim, todo o gol traz mais confiança, esperamos que o futebol dele possa ressurgir, pois é um grande jogador e vamos precisar dele até o fim do ano. Serviu (o gol), se tiver 1 a 0 lá nos qualifica, foi um gol importante, que dá confiança para ele, esperamos que possa crescer ainda mais no decorrer dos jogos", completou.

O Santos usou os pratas da casa para tentar surpreender o Londrina. Oswaldo de Oliveira iniciou o jogo com nove jogadores revelados pelo clube. No total, foram 12 Meninos da Vila usados ao longo da partida.

A equipe santista chegou a empatar o jogo aos 41 minutos do segundo tempo, quando Geuvânio balançou as redes. Porém, Joel, que já havia aberto o placar, marcou o segundo gol do time paranaense aos 45 minutos e fechou o placar.

Após perder o jogo de ida, o Santos volta a enfrentar o Londrina no próximo dia 14, na Vila Belmiro. Já pelo Campeonato Brasileiro, os titulares de Oswaldo de Oliveira encaram o Internacional neste domingo, às 18h30 (de Brasília), no estádio Beira-Rio, em Porto Alegra, pela 13ª rodada da competição.

Uol Esporte

Camaronês marca dois e Londrina vence "Santos B" na Copa do Brasil


Contra um time completamente reserva e cheio de garotos, campeão paranaense consegue a vitória em casa com dois gols de cabeça de Joel

O Londrina se aproveitou do pouco caso feito pelo Santos para o primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil e, contra um time repleto de reservas, venceu pelo placar de 2 a 1, com dois gols do camaronês Joel, nesta quinta-feira, no estádio do Café. Geuvânio fez o do Peixe.

No Brasil desde os 15 anos, quando iniciou sua trajetória no Brasil atuando pelo Iraty, Diederrick Joel Tagueu Tadjo, que veste a camisa 9 do LEC, fez uma grande partida, superando Vladimir com duas cabeçadas indefensáveis - uma em cada tempo.

O resultado dá uma pequena vantagem ao time paranaense para a partida de volta, que será no próximo dia 14, também às 21h, na Vila Belmiro. Vitória santista por 1 a 0 dá a classificação para o Peixe, e um novo 2 a 1 leva a decisão para os pênaltis. Qualquer empate ou demais derrotas por um gol de diferença (3 a 2, 4 a 3, etc.) leva o Tubarão às oitavas de final.

Antes, porém, já neste domingo, o Peixe volta a campo pelo Campeonato Brasileiro da Série A para enfrentar o Internacional, às 18h30, no Beira-Rio. Mais cedo, às 15h30, pela Série D, o Tubarão visita o Pelotas na Boca do Lobo, em jogo válido pelo Grupo 8.

Londrina forte com Joel e Paulinho; Santos perdido e apático

Completamente reserva e com nove jogadores revelados pelas categorias de base do clube, o Santos mostrou claro desentrosamento na partida. E, diante do atual campeão paranaense, foi dominado e exagerou nos erros de passes. No centésimo jogo do técnico Cáudio Tencati à frente da equipe, o Londrina tomou as rédeas e demonstrou a sua força em casa.

Com o estreante Paulinho - emprestado do Grêmio - em grande noite, a defesa reserva do clube alvinegro não escondeu sua fragilidade. Em dois lances de drible pela direita, o atacante passou fácil por Vinícius Simon, criando perigo. Na primeira vez, fez Vladimir trabalhar. Na segunda, cruzou na medida para o camaronês Joel, que cabeceou bonito e abriu o placar. Sem jogar há dois anos, o zagueiro do Peixe pediu substituições por sentir uma lesão antiga na coxa esquerda, dando lugar a Naílson.

Sem um meia criador e com três atacantes em noite inoperante, o time de Oswaldo de Oliveira deu o seu único chute a gol da primeira etapa aos 41 minutos. Após cruzamento, Renato escorou e Souza bateu à esquerda da meta de Vitor.

Santos se ajusta atrás e LEC adminstra a sua vantagem

A etapa final iniciou bem menos agitada do que a primeira, tendo emoções somente após os 40 minutos. Com Naílson ao lado de Paulo Ricardo desde o primeiro tempo, o Peixe foi se ajustando na parte defensiva e passou a parte derradeira da partida sem tomar sustos.

Mesmo sem criar chances, o LEC exerceu um domínio aparente da partida, ficando mais com a bola e, da mesma forma que o adversário, não sendo ameaçado. Com a vantagem na bagagem, a equipe da casa tirou o pé e administrava o resultado até Renato lançar Geuvânio e o camisa 10 santista encobrir o goleiro Vitor, empatando a partida. O castigo pela recuada paranaense, porém, duraria pouco. Quatro minutos depois, o Londrina fez jogada idêntica ao do primeiro gol: Paulinho cruzou e Joel cabeceou: 2 a 1 garantido.

Globoesporte.com

Após drama e voto de confiança de Oswaldo, Simon "reestreia" no Peixe

Zagueiro de 27 anos terá a primeira chance do ano nesta quinta, contra o Londrina, pela Copa do Brasil. Ele está recuperado de uma lesão grave na perna esquerda

A partida entre Santos e Londrina, nesta quinta-feira, às 21h, no Estádio do Café, pela Copa do Brasil, não servirá apenas para os Meninos da Vila mostrarem serviço ao treinador Oswaldo de Oliveira, que decidiu não levar seus titulares para o Paraná. Depois de mais de dois anos, o zagueiro Vinicius Simon terá uma nova chance com a camisa do Peixe.

A última vez em que o defensor esteve em campo pelo Alvinegro foi em 20 de maio de 2012, no empate em 0 a 0 com o Bahia, no Pituaçu, na estreia do Campeonato Brasileiro. Após dois anos e dois meses, a carreira do jogador deu algumas reviravoltas, teve cenas dramáticas e foi parar novamente no Santos.

No início da temporada, depois de atuar por empréstimo no América-MG e no Sport, ele sofreu uma lesão grave na região posterior da coxa esquerda e precisou realizar tratamento por mais de cinco meses. Agora, com um tendão a menos na perna onde foi a contusão, ele está pronto para mostrar para o técnico Oswaldo de Oliveira que merece uma chance.

– Ninguém sabia o que era (a lesão). Rompi o tendão semitendineo da perna esquerda, na região posterior. Fazia o tratamento, mas não dava certo. Mas graças à competência dos fisioterapeutas do clube, o Alex (Evangelista), o Thiago (Lobo), o Avelino (Buongermino), tudo deu certo. Foi um período longo, quase seis meses, mas voltei, dei a volta por cima – contou o zagueiro.

Durante o período em que não entrou em campo, Simon realizava diariamente sessões de fisioterapia e realizava exercícios na academia, aliados a alguns em campo, para fortalecer a região da lesão, já que o tendão não pôde ser reconstruído e está alojado na perna do jogador.

– São quatro tendões na região posterior, e o que rompeu não se regenera, poderia até costurar, mas não gruda. Ele se alojou em algum lugar e está tranquilo (risos). Tenho que fortalecer todo dia, porque a perna direita trabalha com quatro tendões e a direita, com três. Tenho que compensar para chegar à mesma força da direita. Já acostumei – explicou.


Agora, ele terá de mostrar trabalho para Oswaldo de Oliveira, justamente o responsável pela sua permanência no Peixe nesta temporada. Em janeiro, o treinador não deixou Vinicius Simon ser emprestado ao Goiás. O zagueiro revelou que já estava tudo acertado com o técnico Claudinei Oliveira, então comandante esmeraldino, mas Oswaldo gostou do desempenho dele nos treinos e pediu a permanência do defensor.

O problema é Simon sofreu a lesão logo em seguida. Neste período, o Peixe também perdeu, por problemas médicos, Gustavo Henrique, Edu Dracena e Neto. No momento, a zaga titular é formada por David Braz e Bruno Uvini. Com contrato até o fim do ano, o defensor vê no jogo desta quinta-feira a grande oportunidade para encaminhar a renovação.

– O Oswaldo gostou de mim e me segurou aqui. Deu esse voto de confiança. Tenho que fazer minha parte aqui, porque a dele ele fez. Estou confiante. Claro que quero ficar. É minha casa. Estou aqui há 14 anos, minha base toda foi aqui. Para mim é um orgulho, uma honra defender esse clube. Da minha parte eu quero continuar, espero agradar com o meu trabalho – finalizou.

Com nove jogadores revelados nas categorias de base, o Santos irá a campo contra o Londrina com: Vladimir, Zé Carlos, Paulo Ricardo, Vinicius Simon e Emerson; Alan Santos, Renato e Souza; Jorge Eduardo, Stéfano Yuri e Diego Cardoso.

Globoesporte.com

Oswaldo aposta em Renato para comandar time B do Santos contra o Londrina



O técnico Oswaldo de Oliveira confirmou que escalará um time formado totalmente por reservas para encarar o Londrina nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), no estádio do Café, em duelo válido pela terceira fase da Copa do Brasil. Com nove jogadores revelados nas categorias de base do clube, o treinador confia na experiência do volante Renato para comandar os Meninos da Vila. 

"Ele é fundamental, é o cara mais experiente, um jogador extremamente campeão pelo Santos, experiência internacional, com passagem pela seleção, um cara integro, equilibrado. Talvez não ousasse tanto se não tivesse um Renato, um Souza, que trazem essa tranquilidade para o grupo", afirmou Oswaldo.

Oswaldo, que inicialmente escalaria apenas Aranha como titular, mudou de ideia após uma conversa com os preparadores de goleiros da comissão técnica. O treinador poupará o camisa 1 e dará mais uma oportunidade a Vladimir.

"Conversando com o Arzul (preparador de goleiros), ele achou melhor dar continuidade no trabalho de recuperação aqui com o Aranha, e o Vladimir precisa jogar, também. Já jogou algumas vezes esse ano, foi muito bem", disse.

"E todos precisam jogar. Jogamos 70 jogos no ano, sabemos que os jogadores não conseguem manter a performance. Tem uma hora que tem que jogar e eu acho que o momento é esse, temos que aproveitar todo mundo", completou.

O Santos enfrenta o Londrina com a seguinte formação: Vladimir, Zé Carlos, Paulo Ricardo, Vinicius Simon, Emerson Palmieri; Alan Santos, Souza, Renato; Diego Cardoso, Stéfano Yuri e Jorge Eduardo.

Entre os onze que iniciarão a partida contra os paranaenses, apenas os volantes Souza e Renato não foram revelados nas categorias de base do Santos.

Uol Esporte

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Sem titulares, Oswaldo relaciona 20 jogadores para duelo contra Londrina

Novidade no Peixe fica por conta do provável time que vai a campo, com nove jogadores revelados no clube. Partida será nesta quinta-feira, no estádio do Café

O técnico Oswaldo de Oliveira relacionou 20 jogadores para o confronto contra o Londrina, nesta quinta-feira, às 21 horas (de Brasília), no estádio do Café. Como foi anunciado no início da semana, nenhum titular da vitória contra a Chapecoense, no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro, foi chamado para o duelo.

A novidade fica por conta do provável time que vai a campo. Com nove jogadores revelados no clube, apenas Souza e Renato não são cria da base alvinegra. O Peixe deve ser escalado com Vladimir; Zé Carlos, Vinicius Simon, Paulo Ricardo e Emerson; Alan Santos, Renato e Souza; Jorge Eduardo, Diego Cardoso e Stefano Yuri.

Além das ausências por escolha do treinador, o Santos também não poderá contar com Edu Dracena, Leandro Damião e Gustavo Henrique, que seguem em trabalho de recuperação de lesões. Já Victor Ferraz, que atuou pelo Coritiba nesta Copa do Brasil, e Jubal, suspenso pelo terceiro amarelo, também desfalcam o Alvinegro Praiano.

Confira a lista de relacionados:

Goleiros: Gabriel Gasparotto e Vladimir
Laterais: Daniel Guedes, Emerson e Zé Carlos
Zagueiros: Nailson, Paulo Ricardo e Vincius Simon
Meio-campistas: Alan Santos, Leandrinho, Renato, Serginho e Souza
Atacantes: Diego Cardoso, Geovane, Geuvânio, Giva, Jorge Eduardo, Patito Rodríguez e Stefano Yuri

Globoesporte.com

Volante Arouca exalta marca atingida: oito anos sem expulsão


Jogador do Santos recebeu cartão vermelho da arbitragem apenas duas vezes em toda carreira mesmo atuando em setor que exige muito combate

Arouca recebeu o cartão vermelho da arbitragem em apenas duas oportunidades em toda sua carreira. E a última vez que isso aconteceu foi há oito anos. A marca comemorada pelo volante nesta quarta-feira (30) se torna ainda mais significativa, justamente pelo setor, que exige uma combativa forma de atuação.

“Sei que é um caso raro para um volante ficar tanto tempo sem ser expulso. Estamos sujeitos a isso, principalmente por ter de dar combate no meio-campo o tempo todo. As faltas fazem parte, especialmente por que marcamos os jogadores de criação e com mais habilidade. Mas é importante ficar sem tomar cartões e evitar desfalcar a equipe, para estar sempre à disposição do treinador. Fico feliz por alcançar essa marca, pois também é o resultado do meu trabalho no dia a dia”, comentou.


O jogador do Peixe, que será poupado do duelo desta quinta-feira, contra o Londrina, pela Copa do Brasil, foi expulso em novembro de 2005, na derrota do Fluminense para o Vasco por 2 a 0, e no empate do Tricolor Carioca contra o Botafogo por 1 a 1, em julho de 2006. Neste ano, Arouca levou apenas um cartão amarelo, no último minuto da final do Campeonato Paulista, contra o Ituano.

“Acho que existem vários motivos para atingir essa marca. O primeiro é procurar me posicionar bem e não chegar ‘atrasado’ nas jogadas. Além disso, sempre estar bem fisicamente, para que tenha alguma vantagem na disputa de bola, e também ter respeito pelo adversário. Nunca devemos tirar o pé numa dividida, é preciso estar disposto e lutar em campo sempre, especialmente quando se tem como principal função a marcação. Mas não existe motivo para ser desleal com um companheiro de profissão. Por isso, procuro fazer os desarmes e cometer o menor número de faltas possível durante as partidas”, explicou.

FoxSports

Jogos para sempre - Santos X Corinthians - Brasileirão de 2002