sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Técnico santista cita 'viagem desgastante' e deve poupar atletas no sábado


O Santos pode ter alguns de seus principais jogadores poupados no jogo do próximo sábado, contra a Chapecoense, em Chapecó, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Pelo menos foi o que adiantou o técnico Enderson Moreira após a derrota de 1 a 0 para o Fluminense na Vila Belmiro, na última quarta-feira.

O técnico santista acredita que a viagem até a cidade de Chapecó pode cansar ainda mais alguns jogadores, que já não estão 100% fisicamente. Fora isso, o Santos ainda tem jogo contra o Cruzeiro na próxima quarta-feira, também fora de casa, pela Copa do Brasil.

"Temos jogo em Chapecó e uma viagem muito desgastante. Tenho que avaliar muito bem essa questão de poupar. Não quero fazer tipo de opção agora. Mas se eu continuar observando que alguns jogadores precisam se recuperar, podemos fazer algum tipo de opção para poupar, não por abrir mão da competição, mas porque talvez não consigam fazer um bom jogo", afirmou.

Caso isso se concretize, não será uma novidade. Recentemente, Arouca, Cicinho e Lucas Lima precisaram ser poupados de jogos do Santos por causa de cansaço muscular. Já o goleiro Aranha e o atacante Thiago Ribeiro se recuperaram recentemente de lesões na coxa.

Com 45 pontos, o Santos ocupa a oitava colocação da tabela da Série A, a seis do G-4. Além da Chapecoense, a equipe da Baixada Santista ainda tem pela frente os seguintes adversários neste Brasileiro: Internacional (c), Corinthians (f), Cruzeiro (c), Atlético-PR (f), São Paulo (c), Botafogo (c) e Vitória (f).

Uol Esporte

De craque para Rei: ala Falcão parabeniza Pelé por aniversário


Atleta do Século, que completou 74 anos nesta quinta-feira, recebeu congratulações do astro do futsal através das redes sociais: "Hoje é um dia especial para o futebol"

O maior jogador de todos os tempos nos gramados recebeu congratulações do astro das quadras. Pelé, que completa 74 anos nesta quinta-feira, foi parabenizado por Falcão, hoje ala do Sorocaba Futsal e eleito melhor jogador do mundo pela Fifa por quatro vezes. O camisa 12 da seleção brasileira usou as redes sociais para elogiar o Rei do Futebol.

– Hoje é um dia especial para o mundo do futebol. Aniversário do #ReiPelé! Parabéns, Ídolo! – comentou Falcão.

Na foto, os dois aparecem juntos em um evento do centenário do Santos, em 2012, quando Falcão atuava pelo time de futsal da equipe praiana.

Globoesporte.com

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Santos se queixa de chances perdidas em 'derota difícil de explicar'



O gol do Fluminense aos 45 minutos do segundo tempo frustrou os pouco mais de seis mil torcedores do Santos que foram à Vila Belmiro nesta quarta-feira. O time desperdiçou muitas oportunidades, principalmente na etapa inicial, o que acabou irritando ainda mais quem estava na arquibancada.

"É difícil explicar. A equipe deles tem grandes jogadores. Pecamos na hora de finalizar, mas agora temos que levantar a cabeça. Temos um jogo difícil, a viagem é longa e um jogo decisivo pela Copa do Brasil", analisou Arouca, garantindo que não pedirá para ser poupado no próximo sábado, contra a Chapecoense, no Sul. "Não vou pedir, estou à disposição, se ele optar que é o melhor ficar de fora, vou acatar", avisou.

"Não fizemos (o gol), e no segundo foi abaixo do rendimento", comentou Robinho, na saída de campo, garantindo que o Peixe não vai abandonar a competição para priorizar a Copa do Brasil. "Não, enquanto ainda tiver chance, vamos lutar", afirmou.

"Acho que lutamos bastante, foram dois tempos distintos, o primeiro bem, faltou a qualidade para fazer (o gol). Depois o time cansou um pouco, vem desgastado, jogando quinta e domingo, eles tiveram um dia a mais de descanso, o que não justifica", explicou o capitão Edu Dracena. "O time lutou, jogou de igual para igual com o Fluminense, mas, infelizmente, não conseguimos o resultado", concluiu o zagueiro.

ESPN

Jogadores do Santos minimizam gritos de "burro" para Enderson Moreira


Técnico é alvo de protestos da torcida durante a derrota por 1 a 0 para o Fluminense

Do céu ao inferno. Depois de vencer o clássico com o Palmeiras no domingo passado, o Santos perdeu para o Fluminense, por 1 a 0, nesta quarta-feira, e viu a torcida protestar nas arquibancadas da Vila Belmiro. O alvo foi o técnico Enderson Moreira. E os gritos de "burro" saíram antes mesmo de Edson marcar o gol do Tricolor carioca, já aos 45 minutos do segundo tempo. Após as saídas de Gabriel, para a entrada de Damião, e de Rildo, que deu lugar a Souza, os santistas também se manifestaram contra o treinador.

- Ninguém vai prestar (para a torcida) nesse momento. Tem que ter tranquilidade. Entendemos o torcedor, eles vieram nos prestigiar, queríamos dar a vitória para eles - declarou o zagueiro e capitão Edu Dracena, na saída do gramado.

Nesses momentos em que a torcida se manifesta o melhor a fazer é trabalhar e ficar em silêncio - completou o goleiro Aranha. 

Com a derrota, o Santos caiu para a oitava colocação. Com 45 pontos, o Peixe está a seis do Atlético-MG, primeiro time dentro do G-4. Na próxima rodada, a equipe de Enderson Moreira visita a Chapecoense na Arena Condá.

Globoesporte.com

Enderson explica mudanças e não se arrepende mesmo com cobrança


Treinador do Santos precisou mexer na equipe ao longo do confronto e foi bastante hostilizado pelos torcedores

A hostilidade da torcida do Santos foi notória após Enderson Moreira ter sacado Gabriel para a entrada de Leandro Damião no segundo tempo da partida nesta quarta-feira, contra o Fluminense. O jogo ainda estava 0 a 0 no momento da troca, mas o gol de Edson, que decretou a vitória do Tricolor Carioca em plena Vila Belmiro, aos 45 minutos da etapa final, foi o estopim para a chiadeira da arquibancada em cima do treinador.

“Infelizmente, no Brasil é normal. Quando ganha é maravilhoso e quando perde a culpa é do técnico. Torcedor tem que entender que temos algumas ideias, mas às vezes fazemos substituições por lesões. 14 jogo que jogamos toda quarta, quinta ou sábado e domingo. Aconteceu com o Lucas Lima, Geuvânio, jogadores sentem a sequencia. Temos que administrar a culpa”, disse Enderson Moreira, em entrevista coletiva após a derrota na 30ª rodada do campeonato Brasileiro.

“Só lamento porque da mesma maneira que ganhamos, perdemos e sofremos no acréscimo. Poderíamos ter saído com um resultado diferente. No fim do segundo tempo, não conseguimos fazer o jogo. O Fluminense tem capacidade, não jogamos contra ninguém, é um time de qualidade, principalmente do meio pra frente. “Foi uma derrota dura, gostaríamos de encostar no G-4, mas no futebol isso acontece também. Fomos felizes no domingo e não tivemos capacidade para decidir o jogo”, completou o técnico.

Ao analisar, já de cabeça mais fria, as substituições que fez durante a partida, o treinador não mostrou arrependimento e tentou se explicar. Vale lembrar que além da alteração de Damião por Gabriel, Rildo também saiu para a entrada de Souza e Patito foi o escolhido depois de Geuvânio deixar o jogo por lesão, ainda no primeiro tempo.

“São questões minhas, não gosto de pontuar. O Gabriel tem qualidade e perdeu duas chances claras. Precisava manter um jogador de velocidade, poderia ter tirado outro. Temos o desgaste do Robinho, sabemos que precisamos administrar. Temos que parar de pensar que não podemos mexer em um ou outro, não sou passional, não tenho emoção para escalar. Tenho que ser pontual dentro do que posso fazer”, analisou o treinador do Peixe, lembrando que o torcedor, muitas vezes, age com o coração.

“O Rildo também teve dificuldade, mas fisicamente poderia nos ajudar ainda mais. Quando perde sou eu o culpado. Se fizéssemos um gol no fim com o Damião, diriam que eu fui perfeito. Futebol é assim. Tenho que tomar decisões no momento, não me arrependo de nada, tinha outras opções e talvez a ordem não tenha influenciado”, finalizou, com semblante irritado.

FoxSports

Robinho lamenta erros, mas ainda crê que Santos pode alcançar G4


Atacante vê falhas de finalização contra o Fluminense e pede para que o Peixe levante a cabeça já de olho no confronto com a Chapecoense, sábado, na Arena Condá

Gabriel e Rildo tiveram duas boas oportunidades de marcar para o Santos logo começo da partida contra o Fluminense, nesta quarta-feira à noite, na Vila Belmiro. Daí em diante, o Peixe pouco criou, deu espaço ao adversário e acabou sofrendo o gol da derrota aos 45 minutos do segundo tempo. Para Robinho, as falhas do time determinaram o resultado do duelo.

- Tivemos oportunidades no primeiro tempo, mas desperdiçamos. E no segundo tempo caímos de rendimento. Está todo mundo chateado pela derrota, mas temos que levantar a cabeça e pensar no próximo jogo (sábado, contra a Chapecoense, na Arena Condá) - declarou.

Com o tropeço em casa, o Santos perdeu a chance de seguir na cola do G4. Com 45 pontos, o time paulista tem seis pontos a menos do que o Atlético-MG, hoje na quarta colocação. Mas o sonho de obter uma vaga na Libertadores de 2015 por meio do Brasielirão segue viva.

- Dá, dá, enquanto tivermos chances temos que acreditar (na vaga) - afirmou Robinho.

- Não vamos jogar a toalha, vamos batalhar, vamos jogar... E tempos chances na Copa do Brasil também - complementou Arouca, lembrando que o Santos está na semifinal diante do Cruzeiro.

Lancenet

Santistas xingam e vaiam, e Dracena diz: 'Quando perde, ninguém presta'

Parte dos torcedores presentes na Vila Belmiro protestou após a derrota para o fluminense. Zagueiro e capitão do Peixe não gostou da cobrança, mas disse ser normal

Mesmo com o Santos na semifinal da Copa do Brasil e ainda com chances de chegar ao G4 do Brasileiro, parte da torcida alvinegra que foi na Vila Belmiro esta noite protestou após a derrota por 1 a 0 para o Fluminense. As reclamações eram dirigidas a vários atletas e também ao técnico Enderson Moreira, chamado de burro por alguns dos mais exaltados.

Ao deixar o campo, o técnico do Peixe chegou a olhar para a arquibancada e balançou a cabeça em sinal de desaprovação. Enquanto isso, Edu Dracena parou para falar com os jornalistas e disse que as críticas são normais.


- A gente sabe que quando ganha é um maravilha e quando perde ninguém presta. Estamos na semifinal da Copa do Brasil e agora perdemos para um concorrente direto. Não tem que falar que está tudo errado. Quando ganhamos estava tudo certo. Tem que ter tranquilidade - comentou o zagueiro.

Lancenet

Flu vence o Santos, e técnico é chamado de "burro" por colocar Damião


O Santos foi derrotado pelo Fluminense na noite desta quarta-feira, por 1 a 0, na Vila Belmiro, em patida válida pela 30ª rodada do Brasileirão. Desfalcado do meia Lucas Lima, melhor do time nos últimos dois jogos, a equipe santista viu Robinho desempenhar excelente papel como maestro, mas que não foi suficiente para construir a vitória. Com pouca eficiência no ataque, o jovem Gabriel Barbosa, o Gabigol, deixou o campo no segundo tempo e viu a torcida provocar reação negativa no estádio: o técnico Enderson Moreira foi chamado de burro por colocar Leandro Damião, o homem de R$ 42 milhões, em campo. O gol do Fluminense foi marcado por Kenedy. 

Fases do jogo

O jogo começou com brilho de Robinho. Foi mais Diego do que Robinho, logo no primeiro minuto de jogo. Encontrou Gabigol na área e enfiou bola com extrema precisão. O jovem de 18 anos conseguiu dominar e finalizar, mas viu o goleiro Diego Cavalieri se antecipar bem e evitar que o placar fosse aberto pelos donos da casa.

Robinho defintivamente funcionou na função em que não se esperava que funcionaria. Robinho não é meia, não é criador, não é de cadência. Mas conseguiu ser tudo isso para substituir Lucas Lima. Virou o jogador a ser procurado no início da jogada, e não aquele para quem se dá a assistência.

Em cobrança de falta, ainda no início de jogo, o ponta direita Geuvânio teve boa chance. Mas mais uma vez o Fluminense viu Diego Cavalieri aparecer bem. Espalmou e jogou para escanteio. O lance foi o mais claro do jovem atacante santista, que deixou o gramado após sentir contusão, para a entrada do argentino Patito Rodríguez.

Em termos de domínio do jogo, o primeiro tempo foi similar. Não houve uma equipe que se mostrou dona da partida. O Santos, de fato, foi mais insinuante. Procurou levar a vola ao campo de ataque de maneira mais rápida, pelo chão, enquanto o Fluminense jogou de maneira mais recuada, com menos atletas avançando ao campo de ataque e maior cautela. Em diversas oportunidades o time carioca arriscou a jogada aérea, com algum perigo para o gol de Aranha, mas sem eficácia.

Robinho ainda fez mais uma grande jogada, ao receber em contra-ataque. Dominou tirando um marcador da jogada e enfiou bola para Rildo. O ponta esquerda atacou em velocidade e, mesmo com Gabigol na área, arriscou a finalização. Para fora.

No fim, kenedy, que havia entrado no lugar de Rafael Sóbis, aproveitou cruzamento de Chiquinho para balançar as redes.

O melhor – Robinho: É aquele de quem mais se espera, e nesta quarta-feira fez aquilo que não se espera. Armou o time como se sempre houvesse armado, como se armasse todos os dias. Esperava-se que fosse o ponto falho do time do técnico Enderson Moreira, mas foi o grande organizador de jogo.

Na segunda etapa, Enderson tirou Gabigol do jogo e colocou Leandro Damião em campo. Ouviu da própria torcida os insultos de "burro".

O pior – Rildo: Jogou na posição de Robinho, a ponta esquerda, e desempenhou futebol pior do que aquele que se esperava. Individualista quando não poderia ser, desperdiçou pelo menos duas grandes chances de ataque do Santos.

Toque dos técnicos

Enderson Moreira encontrou um Fluminense fechado, com dois volantes marcadores à frente da zaga fazendo pouca pressão. Mesmo com o ótimo desempenho de Robinho, sentiu falta de Lucas Lima, que, se jogasse, poderia ter encontrado o ex-atacante do Milan (ITA) em situações de gol. Cristóvão Borges aproveitou o maior comprimento da equipe para arriscar bolas longas. E, assim, fez o gol.

Para lembrar

Confronto direto:Antes da partida, Santos e Fluminense, tinham 46 pontos e ocupavam as 7ª e 8º posições, com o clube paulista à frente por número de vitórias.

Lesão:Lucas Lima sentiu dores musculares na coxa direita e por isso não jogou nesta quarta-feira.

Uol Esporte

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Jornal: Robinho é investigado na Itália por estupro coletivo

Segundo o jornal milanês Corriere della Sera desta quarta-feira, o atacante Robinho, do Santos, está sendo investigado na Itália por suposto envolvimento em um caso de estupro coletivo, em janeiro de 2013, quando ainda defendia o Milan. A publicação afirma que o promotor Stefano Ammendola chegou a pedir a prisão do jogador.

A juíza Alessandra Simion, no entanto, negou o pedido de prisão justificando que ainda não há evidências suficientes, que Robinho não possui antecedentes criminais e que o atacante, por estar no Brasil, não está atrapalhando as investigações.

Uma jovem brasileira de 18 anos relatou à polícia local ter conhecido o atacante em um restaurante em Milão, onde Robinho estaria com sua mulher e cinco amigos. Na mesma noite, o atleta teria deixado a mulher em casa e retornado ao local. Algumas horas depois, o grupo teria forçado a mulher a ter relações sexuais.

A jovem só teria denunciado o caso seis meses depois, já em julho de 2013, após o fim da temporada europeia. Em agosto de 2014, o atacante deixou o Milan e acertou sua transferência para o Santos.

Em 2009, enquanto defendia o Manchester City, Robinho enfrentou acusações semelhantes. Na época, uma estudante inglesa de 18 anos alegou ter sido abusada sexualmente pelo brasileiro em uma boate de Leeds, no norte da Inglaterra, quando o jogador estava acompanhado de seus colegas de elenco. A polícia local, no entanto, inocentou o atacante e arquivou o caso.

Gazeta Esportiva

Baixa de Lucas Lima evidencia carência de meias no elenco do Santos

Peixe não tem armadores para substituir o titular da posição. Problema vem desde os tempos de Oswaldo de Oliveira e não foi solucionado por falta de dinheiro

A ausência de Lucas Lima na partida do Santos contra o Flumiense, nesta quarta-feira, traz à tona um problema que já havia sido diagnosticado pela comissão técnica santista e até pela diretoria do clube: a carência de meias no elenco alvinegro. 

Desde o começo do ano, o Peixe perdeu Montillo e Cícero e só contratou Lucas Lima. Os armadores revelados na base, Serginho e Léo Cittadini, ainda não convenceram o técnico Enderson Moreira, que tem preferido improvisar volantes ou meias.

No meio do ano, o Peixe cogitou alguns nomes para a posição, mas sofreu com falta de dinheiro. Tal carência no elenco já era destacada pelo técnico Oswaldo de Oliveira, que costumava utilizar o volante Souza como “quebra-galho” na posição.

No último domingo, depois do clássico contra o Palmeiras, Enderson já havia se queixado sobre o problema.

– A gente tem como meia só o Lucas Lima. Ou eu colocava mais um atacante, para ficar com quatro, ou colocaria um homem de meio, que desse mais sustentação. Não temos substituto do Lucas Lima e tivemos que criar uma possibilidade – disse, após ter de sacar o meia, que sentia dores na coxa, e colocar o volante Renato.

O Santos ainda não estuda reforços para a próxima temporada, já que passará por eleições no fim do ano e terá sua diretoria reformulada.

Lancenet

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Zinho vetou Ronaldinho Gaúcho no Santos


O técnico do Atlético-MG Levir Culpi disse ter sido responsável pela saída de Ronaldinho Gaúcho do clube mineiro no início do ano ao jornal O Estado de Minas, mas não é o único que não vê com bons olhos a presença do craque em seu elenco.

Segundo apurou a De Prima, Zinho, ex-jogador e atual gerente de futebol do Santos, disse, em uma reunião de marketing com outros colegas na última sexta-feira, que foi contra a contratação do Gaúcho para o clube alvinegro.

O dirigente disse que passou por “situações ruins” com o craque durante sua passagem pelo Flamengo e que não gostaria de repeti-las em seu clube atual. Para Zinho, o atual elenco do Santos é comprometido e profissional.

De Prima/Lancenet

Com Léo, Teixeira e críticas às finanças, Modesto lança candidatura


Modestinho oficializou candidatura à presidência na noite de segunda-feira, em Santos. Marcelo Teixeira subiu ao palco para reforçar apoio. Ex-jogador Léo marcou presença

Em um tradicional clube na orla da praia de Santos o ex-responsável pelo futebol feminino do Peixe, Modesto Roma Júnior, se lançou como candidato à presidência do Santos pelo grupo Santos Gigante, na noite desta segunda-feira. 

Além de políticos locais e ex-presidentes do Conselho Deliberativo, esteve entre os convidados o ex-jogador Léo. No palco, durante seu discurso, o ex-presidente Marcelo Teixeira também falou para o público, que tinha cerca de 500 pessoas.

Entre algumas propostas, o filho do ex-presidente Modesto Roma (de 1975 à 1978) fez críticas à atual gestão do clube por causa das finanças. Segundo ele, para cada R$ 100 em dívidas, o Santos só tem R$ 17 para pagar.

Uma de suas principais promessas caso seja eleito é renegociar a dívida. 

Mesmo com Modesto se lançando a convite de Marcelo Teixeira, o candidato ressaltou aos presentes que o ex-presidente não terá um cargo político caso ganhe as eleições e acrescentou que Teixeira será apenas um colaborador em quem confia.

Além de Modestinho, o Peixe terá como candidato nas eleições do dia 6 de dezembro Nabil Khaznadar (Eu Sou Santos), Fernando Silva (Mar Branco), Orlando Rollo (Terceira Via Santista) e José Carlos Peres (Santos Vivo).

Lancenet

Jogos para sempre - Santos X Corinthians - Brasileirão de 2002